Famosos e duendes

Fui assistir ontem "Os famosos e os duendes da morte" no Cine Líbero Luxardo. Recomendo.



Tive uma visão muito pessoal do filme, a partir da mãe do protagonista. Não tive como não fazê-lo, afinal fui ao cinema com a minha filha mais velha e, certamente, ela não fez esta leitura. Afinal a mãe dele era uma personagem normal, embora falasse com o cachorro e carregasse remédio tarja-preta na bolsa... embora trabalhasse o dia inteiro e tivesse pouco tempo para dar atenção ao filho. Mas tentava o tempo todo um relacionamento real com ele, nem que pra isso precisasse tomar uma garrafa de vinho! As articulações do filho sempre eram no campo da virtualidade, tanto no contato humano quanto nos afetos e desejos.
Neste mundo virtual, quem são os famosos? Que fama, que vida, que morte teremos?
Pra mim o menos relevante é saber que caminho tomou o protagonista, mas, mais importante ver que ele tomou uma decisão. Ir ao show? Se tornar homossexual? Se meter no canavial? Não sei.
Além da fotografia excelente, com linguagem contemporânea de qualidade artística, pra mim o importante é dizer que na ponte podemos ter opções de vários caminhos.

Comentários

ferreiras, e. disse…
Perfeito Claudia! Perfeito! Um filme com variadas interpretações, todas cabíveis e determinadas pelo sentimento e sensações de quem assiste. Um filme feito para sentir, não pra se interpretar. Gostei muito da citação final: "O importante é dizer que na ponte podemos ter opções de vários caminhos". Só nos resta saber o melhor deles.

Abraços,
Elder Ferreira.

Postagens mais visitadas