Ano Novo, vida nova?

Não tenho muita certeza. Na verdade o ano de 2009 serviu para me fazer teste de carga da minha crença, especialmente nas relações humanas e, digo, o ceticismo venceu. Nesse sentido 2010 receberá uma Claudia bem diferente da que muitos conheceram. Mas por outro lado, algumas figuras se reafirmaram como auras especialíssimas e fundamentais na iluminação do que eu realmente sou. Não que já não fossem, mas que estão 'encorpando' esse sumo de amizade que nos une.
Não, não vou dizer nomes. Isso aqui não é um out-door de adolescente apaixonado! As pessoas que foram fundamentais para minha sobrevivência espiritual e equilíbrio no ano de 2009 sabem o quanto foram importantes, e já agradeci. Essas saberão reconhecer as entrelinhas de mais um afago.
Foi um ano de muitas rupturas. Algumas não tão óbvias, mas todas definitivas. É um ano que termina terminando, num estanque, talvez o mais retumbante da minha vida. Mas não me sinto uma pipa 'avoando'! Os cordões que foram rompidos, embora fundamentais, foram fortalecidos por outros laços e têm me mantido no ar. Descobri com tudo o que me ocorreu em 2009 que sou mais capaz e forte que pensava ser, mas que também não quero sê-lo. Queria estar xinando, seria mais cômodo...
Este foi, enfim, meu ano de 2009!
E o que quero para 2010?
Antes de tudo, desejo muito sucesso para os meus desafetos, para que eles sejam muito e tão felizes longe de mim que me esqueçam.
Para meus amigos, desejo tudo de muito de bom, e que eu possa compartilhar de suas alegrias, mesmo distante.
Quem sabe a bênção de alguns encontros...
Para mim, quero um ano tranquilo. Só. Sem surpresas, sem sustos, sem descompassos de qualquer tipo. Um dia de cada vez, com as demandas cabendo nas vinte e quatro horas.
O resto a gente vai inventando!

Comentários

ElderF. disse…
O resto sempre se inventa conforme a dança, o passo, o espaço, o amor, a fome, o comer, a cama, o sentir, o mundo, mas não fundo, pouco nos conformamos.

Você me encantou, pouco nos conhecemos, se é que há algum conhecimento entre nós dois, mas a linha tênue que nos enlaça, mesmo que seja o modem aos pedaços de minha casa, será carinhosamente cultivada.

O maior prazer que tive nesse ano foi conhecer a comuniade blogueira paraense, mas não apenas a comunidade, os membros principalmente, as meninas, as bailarinas, o Ivan, você.

Abraços raros e caros amores para você no ano que nos chama.

Postagens mais visitadas