Mais do menos

Mais uma bela crônica de José Maria "Kostas" Teixeira, no seu blog Eupalinos ou L'Arquitecte sobre a situação da arquitetura de Belém. Ele questiona (ou afirma): Por que Belém está feia?
É uma reflexão muito interessante, que faz qualquer um de nós rever nosso papel, quer sejamos arquitetos, gestores (para onde está apontada a arma de Kostas), quer simples cidadão. Sim, não esqueçamos que estamos em um Estado Democrático de Direito!
A foto desse post retrata o início do fim: década de 1970. Podemos ver o início da verticalização sobre uma cidade impotente. Quem quiser conhecer mais da paisagem urbana de Belém, e outras cidades, nas décadas passadas, pode consultar o acervo da Biblioteca Virtual do IBGE.
Os arquitetos têm responsabilidade profissional efetiva, por serem agentes de criação e mudança no espaço da cidade, responsável por sermos o que somos: os únicos animais na face da Terra a alterar o seu meio ambiente. O problema que, em Belém, temos feito alterações grotescas, transformado (ou permitido transformar) o espaço da cidade em um lugar pior! É, no mínimo um contra-senso, investir tempo, conhecimento e dinheiro para vivermos num lugar feio, inseguro, desconfortável, desagradável, enfim!

Comentários

jornalsanitario disse…
Belém em termos urbanos é um caos.Nós temos dificuldade em conservar as construções antigas e a forma como crescemos é desordenada.Surgem prédios altos ao lado de favelas e da decomposição dos casarões do século XIX.
A cidade ainda não definiu o que é sua arquitetura, já que durante os séculos, absorveu tendências de todos os cantos: portuguesas, francesas, americanas.
Para Belém ficar não só bonita, como também útil e agradável, será necessário o trabalho de arquitetos, do governo e do próprio povo, para um planejamento urbano mais efetivo!
:*

Postagens mais visitadas