Conselho aos amigos

Já estive envolvida no contexto político-partidário (nunca como candidata!) de várias formas na vida, mas a melhor maneira de conviver com esse complexo é delegar a responsabilidade para aqueles que realmente querem fazer algo de bom. Eles não sabem se você votou em A ou B, neles ou não. O esforço de hoje (especialmente hoje: estamos elegendo vereadores, os legisladores, os que farão de fato as regras do jogo) é fundamental. Existe, sim, gente séria. São poucos, mas existem! Votem neles.
Não votem no cara engraçado ou na personagem ridícula, não votem naquele que comprou seu voto com uma demagogia qualquer, não votem naquele quem você sempre, a vida toda, ouviu falar o nome mas que, de fato, não sabe a atuação parlamentar: eles continuarão brincando com a sua cara, comprando sua consciência e conivência com pouco e cuidando do marketing pessoal. Assim que muitos se mantém num emprego que paga muito, exige pouco e dá poder inimaginável. Quem não quer?
De preferência eleja quem você poderá depois olhar na cara e cobrar a postura que você esperou. E tenha essa postura também com os outros que não assumirem na prática a coerência do discurso.
Não vou fazer propaganda de ninguém, mas não poderia de pensar muito antes de escolher quem vai merecer o meu voto e editar a minha escolha.
"Urna não é lixeira. Voto não tem preço, tem consequência." (Dulce Rosa)
Bom domingo a todos!

Comentários

Ainda acho que a monarquia era mais justa que a republica. Afinal, `nos` eramos subordinados a um Rei e suas vontades, mas, pelo menos, ja sabiamos disto. Ja agora, somos subordinados do mesmo modo, mas fingem que nao eh isso...
Repito, prefiro a monarquia.

p.s: minhas teclas nao estao funcionando. por isto a falta de pontuacao adequada e de acentuacao grafica. heheh
Oi, Claudia. Vim retribuir sua visita e agradecer pelo comentario deixado. Gostei de seu blog. E' sincero, com conteudo e gostoso de ler. Parabes!! Vou lincar no meu e voltarei mais vezes. Franz

Postagens mais visitadas